14 de ago de 2012

Tão nós...

Podem levar o Sol, mas enquanto eu tiver você, terei o brilho do teu sorriso pra me iluminar. E enquanto existir um nós, a luz da Lua não passará de um perdido vagalume comparado a luz que emana de nossos olhos enquanto nos encaramos com tanto orgulho. Mas qual o motivo de tanto orgulho? Simples: os dedos tão entrelaçados, a risada alta e gostosa, os pensamentos sincronizados e a certeza de que não, não poderíamos ter escolhido outro alguém. Porque com outro alguém não haveria os nossos motivos para sorrir: aquelas conversas bobas e os apelidos 'idiotas' aos olhos de qualquer pessoa, menos aos nossos. E viveríamos sem saber que a felicidade existe. A nossa felicidade que não cabe a mais ninguém saber, ouvir ou sentir. Essa felicidade que nos deixa querendo estar perto, abraçando e sentindo a paz e tranquilidade. E no que depender de mim, não terá fim. Porque quando se encontra alguém com quem se quer ficar, tudo se faz para não deixar passar. A escolha é recíproca e o fim é invisível a linha de pensamento.